Cidades musicais – Comunicação, territorialidade e política

Sinopse: O objetivo desta publicação é o de se inserir no debate sobre cidades criativas (que ganhou fôlego no Brasil na década passada), alargando os argumentos (que se centram, em geral,numa discussão sobre potencialidades e limites das economias criativas dos territórios) em direção a uma reflexão que tenta dar conta de múltiplos aspectos envolvendo as “cidades musicais” (aspectos relevantes – abarcando, por exemplo, a construção de sociabilidades, memórias, afetos e processos de identificação – que não estão necessariamente relacionados e/ou condicionados pelo imperativo econômico) que buscam contemplar e valorizar também as atividades culturais cotidianas (vividas pelos atores de forma intensa, em atuações performáticas, sonoras, táteis e/ou teatralizadas). Há um empenho nos trabalhos aqui reunidos de analisar não só o universo institucionalizado e mais visível (contemplado ou não por políticas públicas), mas também de considerar as dinâmicas das territorialidades musicais urbanas (algumas quase invisíveis ou mais espontâneas, que gravitam em torno de gêneros e/ou cenas musicais), as quais alteram significativamente imaginários e ritmos do dia a dia nas urbes.

ANO

2018

AUTORES

Cíntia Sanmartin Fernandes; Micael Herschmann

EDITORES

Editora Sulina