An approach to underground music scenes

Está disponível o volume 6 da da KISMIF Conference, dedicado ao tema An approach to underground music scenes, com edição de Paula Guerra e  Ana Oliveira. Destaque, no livro, para o artigo de Teresa Lima DIY in Edgar Pêra: The construction of a visual identity. Resumo: Partindo da história de vida do cineasta português Edgar Pera, pretendo analisar o DIY no seu percurso artístico. Tendo como referências musicais os movimentos punk e new wave, Pera iniciou a sua atividade (em meados dos anos 80) inspirado pela praxis das bandas portuguesas de pop rock português, que gravava compulsivamente, como alter ego Homem-Kâmara. Ao interpretar a entrevista de história de vida do cineasta (parte de uma tese de doutoramento, em curso), notei que o DIY surgiu como uma contingência e, ao mesmo tempo, como uma emancipação. A escassez de recursos levou-o a filmar em vídeo quando a película era valorizada como suporte. A partir daí, o realizador tornou-se um profissional, num tipo de cinema que se configura como uma superação entre a alta e baixa cultura. Abordo, sobretudo, o impulso que leva um criador a expressar-se de múltiplas formas, explorando uma faceta desconhecida do autor: a pintura e o desenho. De uma maneira autodidata, Pêra procura ferramentas mentais e emocionais, uma vez que o desenho precede e acompanha o processo criativo dos filmes e as pinturas revelam um turbilhão de pensamentos. Através do discurso de Pêra, identifico os elementos que colocam o DIY como um estilo de vida (Bennett, Guerra & 2021) e como construção simbólica da realidade (Carey, 2009), refletindo sobre a estética como ação (Arendt, 2001) e como experiência (Dewey, 2008)

ANO

2023

AUTORES

Teresa Lima

EDITORES

Paula Guerra & Ana Oliveira