Projeto transforma praça Roosevelt em divã para psicanálise de graça

Desde junho de 2017, cadeirinhas coloridas de praia na praça Franklin Roosevelt (centro) são transformadas em divãs. O Coletivo Psicanálise na praça Roosevelt é um projeto sem fins lucrativos tocado por 17 profissionais que, aos sábados, entre as 11h e as 15h, atendem de forma gratuita todos que passarem pelo local.

Na dinâmica, basta o interessado pelo atendimento se aproximar, colocar o nome em um caderninho e esperar ser chamado. Em média, são de 20 a 30 atendimentos.

“Não é um projeto voluntário. É um projeto sustentado pelo desejo de levar a psicanálise a quem não tem acesso”, afirma uma das profissionais do coletivo, Ana Beatriz Vasconcelos. “Mas é importante que seja uma relação horizontal entre as partes”, diz.

Os profissionais contam com a ajuda de moradores do entorno da praça. Um deles, por exemplo guarda as cadeiras no prédio que fica em frente à marquise de madeira onde os profissionais atendem.

Quando está frio ou chovendo, é dentro do Espaço Parlapatões, na praça mesmo, que os psicanalistas e pacientes fazem a dinâmica. O psicanalista Augusto Ribeiro Coaracy Neto conta que, apesar do auxílio de gente que ele chama de “almas gentis”, há quem não aprove o projeto.

“O desafio às vezes é lidar com quem se acha síndico da praça. Eles tentam regulamentar nossa atuação”, diz. “Há um interesse de impedir a boêmia ou movimentos libertários na praça.” | Texto completo