Martins, M.L. & Pinto-Coelho, Z. (2017). Fluxos e caminhos na cultura visual

Nos últimos anos, as práticas de criação de imagens ( fotografia, filmagem, edição e desenho) passaram por várias transformações impulsionadas pelo diálogo crescente entre tecnologias visuais digitais, plataformas de redes sociais, vídeos / sites e aplicativos de compartilhamento de imagens. Esse diálogo tornou possível desenvolver novas formas de visualidade e, assim, novas práticas dentro e através de uma variedade de campos online e offline. Nesta edição, analisamos o escopo e as dimensões dessas mudanças, como elas foram incorporadas à sociedade e à vida cotidiana, suas implicações sociais, políticas, culturais, estéticas e poéticas e seu impacto na redefinição contínua do funcionamento da comunicação visual e seu lugar nas sociedades contemporâneas. Incluímos o conceito de “fluxo” para designar o tema desta edição, que é dedicada à cultura visual, uma vez que o fluxo é uma metáfora chave da vida. Fluxo e vida tendem a se desenvolver em uma tensão constante entre equilíbrio e desequilíbrio,  entre harmonia e desarmonia. As experiências de vida são etapas ao longo da vida.” | Mais Informações.

ANO

2017

AUTORES

Moisés de Lemos Martins & Zara Pinto-Coelho

EDITORES

Revista Lusófona de Estudos Culturais