Lisbon Sound Map

“Locais, habitados ou desabitados, têm sempre uma memória sonora cujo conteúdo pode ou não persistir no tempo. Registrar e entender as alterações de manutenção e som num determinado território não só constitui uma memória individual, mas sobretudo coletiva. O álbum acústico tornou-se um instrumento indispensável e fonte de informação essencial ao estudo antropológico, sociológico, cultural e urbano. Com o mapeamento sonoro de uma dada área, a estratégia assumida é primeiro escutar a complexidade sonora do lugar (os usuários enquanto elementos de comunicação) e, segundo, desenvolver novas formas de escuta que são reveladas no conhecimento e expressão. ”.  | Mais Informações