Cultura sai às ruas no Chile para apoiar protestos

“Quando no tapete vermelho do Grammy Latino, a cantora e compositora chilena Mon Laferte abriu seu vestido para mostrar a mensagem “No Chile eles torturam, matam e estupram”, o mundo imaginou a ponta de um iceberg: o intenso movimento cultural em a favor de protestos que expressam o desconforto de uma parcela significativa da população que se sente fora do caminho de desenvolvimento do país. Um movimento que reuniu criadores de diferentes disciplinas e diferentes graus de fama: de artistas anônimos que pintam os muros da cidade à mais bem-sucedida escritora: Isabel Allende, todos se juntaram.” | Mais Informações