Cenas e Vistas d’A Brasileira na imprensa

A respeito de Cenas e Vistas d’A Brasileira, o Professor Moisés de Lemos Martins, diretor do CECS, em crônica publicada no Correio do Minho, escreveu que o livro “dá-nos a conhecer, no quotidiano de um café, ao longo de todo o século XX e primeiras décadas do século XXI, os estados de alma flutuantes da cidade de Braga, ou seja, a sua atmosfera social, sendo a atmosfera uma rede de forças materiais e espirituais. Ordenando e dando sentido às forças anónimas e dispersas da nossa época, Cenas e Vistas d’A Brasileira é uma realização exímia da atmosfera social da cidade de Braga, que não se limita a ser o reflexo do nosso tempo, criando antes a sua expressão. Este livro atinge, sem dúvida, a realidade histórica, encerrando em si a garantia da sobrevivência da nossa época, o que também quer dizer, a garantia da nossa sobrevivência”.

O “quotidiano”, os “quadros da vida na sociedade” e os “pequeníssimos nadas” que são ilustrados ao longo do livro também são alvo de reflexão do jornalista Eduardo Jorge Madureira, presente no lançamento de Cenas e Vistas d’A Brasileira e responsável pela primeira leitura aos convidados. Em um artigo de opinião publicado no Diário do Minho, para o autor, o livro possui “abundante material, tantas vezes aparentemente anódino, que muito nos desvenda sobre um lugar e vários tempos. Sobre, portanto, a cidade de Braga em múltiplas épocas”.