A obra de arte em espaço público | “Dentro do oco bronze”

“Na minha opinião, tem tanto direito a vontade legal de um presidente de Câmara Municipal em colocar uma escultura num centro de rotunda rodoviária, como um writer noturno que ilegalmente pinta vagões de comboio. O direito é o mesmo, contudo haverá um dever essencial inerente às manifestações públicas. Esse dever tem que ver com um compromisso comunitário. Não se trata de enfeitar o espaço comum, ou de enriquecê-lo, muito menos de privilegiar um autor ou um grupo destes, ou louvar uma entidade, mas sim de responder a uma necessidade comum, pública, inevitável, inadiável!”

É com essas palavras que o artista plástico e visual, Alberto Rodrigues Marques inicia seu artigo que faz uma reflexão sobre o espaço público como local de intervenção e a presença das mais variadas formas de arte no local como potenciais criadores do sentido de comunidade. Para ler mais, clique aqui.